Blog - 14 de junho de 2013

Redes sociais e empresas: O quanto investir?

Está mais do que claro e comprovado para tudo e para todos, que o mercado capitalista mundial está em continua mutação. É importante salientar que as transformações que esse cenário vem sofrendo atualmente são mais frequentes, intensas, e realmente revolucionárias. Portanto, é necessário que as empresas estejam atentas para acompanhar esse ritmo.
É difícil mensurar, mas todo investimento em atendimento, divulgação, TV, rádio ou jornal, todas as comissões de venda ou mesmo e-mail marketing, é valido.
Como estratégia para conseguir um vínculo maior com seus clientes, as empresas estão cada vez mais adeptas das redes sociais como Facebook, Twitter, LinkedIn e a nova febre brasileira, o Instagram. E falando de Facebook, não basta criar uma Fan Page linda e atualizada se ninguém vir suas atualizações. O objetivo sempre será aumentar o número de “fãs” para a página do cliente. Não que isso seja a única parte importante na hora de se avaliar o desempenho da estratégia, mas para quem está por fora, no caso os consumidores, pode ser fator decisivo para curtir ou não.
Então o que fazer para aumentar sua popularidade na rede entre os consumidores? Em primeiro lugar, com certeza será necessária uma divulgação. Após isso será a parte mais exigente a interação com os usuários. É isso que o consumidor espera.
Conheça alguns números:
56% dos usuários que curtem as páginas são propensos a recomendar a um amigo;
77% dos brasileiros que possuem conta no Facebook interagem com alguma marca na rede;
42% dos consumidores do país (entre 25 e 44 anos) já realizaram uma compra após receberem uma mensagem de marketing na rede social;
41% dos brasileiros utilizam a rede com propósitos profissionais;

Estamos em uma era da comunicação, que alguns profissionais estão chamando de Era da Distribuição, em que as informações são repassadas com mais facilidade e rapidez, permitindo que o cliente dite a marca. Então a interação torna-se o aspecto mais importante. Não deixe que os consumidores fiquem sem esclarecimento de dúvidas ou que não consigam interpretar a informação passada.

Agora pare e pense em como você e sua empresa se posicionam na web!