Novidades - 29 de abril de 2014

#Merecemos respeito e oportunidades de mostrar que somos todos iguais!

A dignidade do jogador Daniel Alves na Espanha entrará para a história! O jogador brasileiro, com um raciocínio impressionante, mostrou que é um ser humano muito inteligente comendo a banana jogada em campo por um torcedor numa suposta atitude racista.

O gesto de Daniel Alves foi espontâneo, mas provocou uma reação mundial após mais um ato de racismo no futebol. A campanha #somostodosmacacos ou # weareallmonkeys foi desenvolvida por uma  agência de publicidade a pedido de Neymar. Criando um “timing perfeito” para a publicação do post de Neymar comendo uma banana ao lado do filho.

Depois disso vários artistas e formadores de opinião pelo mundo inteiro aderiram a campanha.

Coincidentemente na mesma semana a atriz Lupita foi eleita a primeira mulher negra mais bonita do mundo pela revista ‘People’ .

Lupita é atriz-produtora-diretora-ícone fashion, ganhou o Oscar, faz propaganda para diversas marcas importantes do mundo da moda, está sempre bem vestida nos tapetes vermelhos, é formada em Teatro na prestigiada Universidade de Yale, e além disso seu pai é professor universitário e alto funcionário do governo de seu país.

Agora, Lupita é a mulher mais bonita do mundo? Não, ela é super-perfeita. Será que se Lupita só fosse bonitinha que é, sem tantos atributos intelectuais, artísticos e fashionistas, seria escolhida pela People?

Isso não sabemos, mas de qualquer forma ponto para People e ponto para os americanos, já que no Brasil, com muito mais descendentes de africanos que nos EUA, ainda não fomos capazes de colocar Lupitas nas capas das revistas de moda!

Não temos nenhuma superstar tão escura quanto Lupita. Nem protagonista de novela. O mais próximo que chegamos, e está bem longe, é Thaís Araújo. Que quando aparece em capa de revista, está sempre vários tons mais clara que na vida real.

Uma Lupita continua impossível no Brasil. Não porque não hajam negras muito mais lindas que ela, ou atrizes negras tão talentosas quanto. É que aqui é muito mais difícil uma jovem negra se formar em teatro em uma universidade de elite, encenar grandes autores, escrever e dirigir seu próprio documentário, viajar pelo mundo etc.

Sim, #somostodosmacacos, principalmente no Brasil. Mas estamos falando de cor, não de falta de inteligência e talento. Um jogador de futebol que com todas as dificuldades que conhecemos conseguiu chegar onde o Daniel Alves chegou ganhando milhões por exercer seu oficio dignamente, realmente não é a realidade do nosso país.

Por isso, todos nós, brasileiros,  merecemos respeito e oportunidades de mostrar que somos todos iguais.