Burbury - 2 de junho de 2017

Influenciadores digitais: um like vende?

Você se sente mais confiante em usar um determinado produto quando vê um comercial dele ou quando alguém próximo te recomenda dizendo que ele é ótimo? É justamente esse o pulo do gato do marketing de influência. O objetivo é claro: humanizar marcas, aproximar a experiência de uso ao consumidor e tornar a propaganda algo pautado por pessoas que sejam próximas ao público e tenham legitimidade junto a ele.

A companhia The Shelf realizou uma pesquisa que demonstrou que mais de 65% das empresas e marcas analisadas já utilizam estratégias de Marketing de Influência, assim como 52% das empresas têm uma verba exclusiva para ações em mídias sociais. A maioria das empresas ouvidas relataram aumento na conversão para vendas, uma melhora na exposição da marca e de produtos, aumento da credibilidade e lealdade do consumidor.

Antes de investir em influenciadores, um passo importante é identificar quem é o seu público e qual o perfil que mais se encaixa ao seu negócio. Existem pelo menos 10 categorias de influenciadores: jornalistas, celebridades, autoridades, conectores, analistas, ativistas, experts, insiders, acadêmicos e disruptivos. Quem é mais importante para o seu público: um especialista com formação acadêmica sobre determinado tema ou uma celebridade que pauta estilo de vida?

Como qualquer estratégia de marketing você também deve pautar suas escolhas baseado no seu objetivo com aquela ação. Ela pode ser o aumento de vendas, a melhora da imagem, o aumento de visibilidade, reposicionamento de mercado, etc.

No marketing de influência também é essencial analisar as métricas dos canais de comunicação do seu parceiro. Nem sempre o número de likes e curtidas é sinônimo de influência. Um perfil pode ter muitos seguidores mas ter pouca interação, o que demonstra que ele pode não ser tão interessante assim. Alguns perfis podem ter menos seguidores, mas os mesmos podem interagir e trocar informações com muito mais frequência com o influenciador, o que pode ser ótimo para o seu negócio.

Outro ponto fundamental é analisar bem a figura com a qual a sua marca quer fazer parceria. Associar sua imagem a uma pessoa pode ser perigoso, pois qualquer deslize pode acabar abalando a imagem do seu negócio. Além disso é essencial estabelecer metas, contrapartidas, e deixar tudo claro e oficializado da melhor maneira possível, principalmente quando a negociação se dá diretamente com a figura, e não com uma agência ou assessoria.

Ficou interessado em testar o poder dos poderosos influenciadores, correto? Entre em contato com a Burbury. Podemos trabalhar juntos na construção de um plano de marketing que também inclua esse braço tão útil que podem ser os influenciadores. Vem com a gente. É chuva de like!